Combustíveis: PS lamenta “política populista” por parte dos social-democratas


O Governo do Partido Socialista tomou “várias medidas no que diz respeito aos combustíveis ao longo deste tempo”, como uma moratória para impedir que o biocombustível crescesse, com o objetivo de manter o gasóleo mais barato, criou postos de abastecimento low-cost e também o gasóleo profissional, sustentou o deputado do PS Carlos Pereira, que perguntou ironicamente ao PSD que medidas criou na altura em que foi Governo.

O Grupo Parlamentar socialista “é sensível a esta matéria dos combustíveis e é sensível ao aumento do preço dos combustíveis pelo efeito que tem na vida dos cidadãos”, garantiu o vice-presidente da bancada do PS durante o debate, no Parlamento, sobre políticas fiscais e de preços para os combustíveis, lembrando que o valor é afetado, não só pela carga fiscal, mas também pela matéria-prima.

“O componente da matéria-prima no preço do petróleo em maio de 2015 era 38,5%, mas em maio de 2018 já é 44,5% no que diz respeito ao gasóleo”, explicou. Quanto à gasolina, subiu dos 35% para 38%.

Carlos Pereira revelou que o partido se preocupa com duas questões, que não se prendem exclusivamente com o aumento do preço dos combustíveis: rendimento disponível dos cidadãos e competitividade da economia portuguesa, “duas características que nortearam a ação do Governo do Partido Socialista nos últimos tempos”.

“Lembramo-nos muito bem como encontrámos o país em 2015. Com a maior carga fiscal que os portugueses alguma vez suportaram, com dificuldades de crescimento, com os portugueses completamente depauperados, com dificuldades de competitividade”, recordou o socialista, que vincou que o Governo tem feito um esforço nestes últimos anos para “restabelecer o rendimento disponível das famílias e garantir o aumento da competitividade”.

O vice-presidente da bancada do PS deixou depois uma crítica à “política populista e irresponsável do PSD”, que apenas ambiciona dar “manchetes em jornais”.

Numa tentativa de curar o esquecimento da bancada social-democrata, Carlos Pereira relembrou que, em maio de 2012, os portugueses compravam 13,3 litros de gasóleo com 20 euros. Em 2018, os portugueses conseguem comprar 14,6 litros de gasóleo. “Ou seja, compram mais do que compravam com a vossa governação”, referiu, dirigindo-se ao PSD.

E continuou: durante o Executivo do PSD/CDS, o preço médio do gasóleo foi de 1,34 euros, sendo que o preço atual é de 1,24 euros. “É isso que os portugueses querem, estamos a fazer um esforço para garantir que mantêm rendimento disponível”, assegurou.